SAÚDE | Queda de cabelo pode ser agravada por estresse, ansiedade e carências nutricionais

A queda de cabelo é um dos fatores relacionados à saúde que pode ter sido agravada por conta do estresse e da ansiedade vividos e intensificados neste período de isolamento social. Apesar de ser uma medida necessária para combater à Covid-19, a nova realidade trouxe uma série de mudanças, em especial para quem passou a trabalhar em home office. 

Segundo a psicóloga Renally Lima, embora a configuração seja temporária, requer muita entrega e energia canalizada para tal atividade, podendo comprometer a saúde física e mental, com intensificação nos níveis de ansiedade e de transtornos já pré-existentes, corroborando com o aumento disfuncional do estresse. 

Nesse sentido, o estresse pode ser considerado, inclusive, como um dos possíveis motivadores da deficitária saúde capilar. Quando o organismo passa por incidentes envolvendo sobrecarga emocional, ocorrem alterações nos níveis proteicos e hormonais, a exemplo do cortisol. 

De acordo com a psicóloga, a carência de proteína (composição primordial para a saúde dos fios de cabelo) é motivada pela disfunção alimentar após uma situação aflitiva. Além disso, o excesso de cortisol pode se elevar a níveis tóxicos, coibindo o funcionamento do corpo e prejudicando o crescimento capilar e a manutenção da saúde dos cabelos. 

Higiene e virose 
A dermatologista da do Hospital Unimed, Dra. Helena Rios, reforça que, em situações de estresse elevado, os ciclos do cabelo (denominados de anágeno, catágeno e telógeno) se alteram e numerosa quantidade de fios, os quais deveriam estar fortes e em crescimento, na fase anágena, entram no processo de queda excessiva. “Condição na qual costuma deixar as mulheres de cabelos compridos assustadas”, acrescenta a médica. 

Conforme a profissional, qualquer alteração relacionada ao ritmo de vida, a exemplo de mudanças de fuso horário, preocupação, noites mal dormidas e alteração da dieta, pode afetar a saúde capilar.

Para além dos transtornos e da carência nutricional, processos inflamatórios também podem potencializar a queda. “Doença febril, como viroses ou o próprio coronavírus, o qual causa inflamação no corpo inteiro, pode apresentar a queda dos fios como sequela”, revela a médica.

Apesar do momento de transição normalmente se apresentar um pouco conturbado para alguns,  Dra. Helena Rios recomenda caprichar nos cuidados capilares, assim como lavar bem o couro cabeludo para evitar o surgimento ou acúmulo de caspa na raiz. 

Por DiárioNordeste / Foto reprodução

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s