CEARÁ | Incentivo à produção de mussarela no Estado deve reduzir preços

A indústria de derivados de leite cearense conta agora com benefícios fiscais para a produção de queijo mussarela no Estado. A expectativa é de que a medida beneficie toda a cadeia produtiva local e representa uma redução dos preços ao consumidor, uma vez que haverá diminuição de custos logísticos além de maior oferta por parte dos produtores. A medida atende uma antiga queixa do setor, que se via com pouca capacidade para concorrer com o queijo produzido principalmente nos estados de Minas Gerais, Bahia e Pará, principais emissores do produto para o Ceará.

Aguardamos que este incentivo seja repassado para os consumidores, pois mercados na Serra da Ibiapaba o quilo de mussarela custa mais caro que um quilo de carne de primeira, hoje(4) o preço da mussarela kg custa R$ 42,99, estamos na expectativa da redução de preço.

“O mussarela é o mais consumido no Estado e a gente tinha uma necessidade muito grande do queijo mussarela produzido nesses estados. Agora, a gente pode ter uma maior produção de queijo e haverá uma maior demanda do leite in natura cuja produção vem crescendo muito no Ceará, mas tem poucas indústrias para absorver essa produção”, diz Sílvio Carlos, secretário executivo do Agronegócio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SDE).

Com o aumento da demanda a perspectiva do setor é que os produtores sejam estimulados a produzir mais. “Isso vai melhorar o preço pago ao produtor estimulando-o a produzir ainda mais. E, com uma maior produção local, o queijo chega mais barato ao consumidor, seja pelo aumento da produção como por uma questão de frete”, diz Sílvio Carlos.

Atualmente, o Ceará consome cerca de 30 toneladas de queijo mussarela por dia, volume que requer o consumo de aproximadamente 300 mil litros de leite, diz o engenheiro agrônomo e produtor rural José Maria Pimenta. “Esse incentivo é muito importante para o Ceará, porque o queijo mussarela consumido no Ceará vem de Minas Gerais, Pará e Bahia, onde o queijo mussarela já é isento”, ele diz. “O que se espera é que o Ceará, que já é um grande produtor de queijo coalho, se torne um grande produtor de queijo mussarela, substituindo a compra de outros estados e reduzindo o preço na ponta”.

Decisão
A decisão do Governo do Estado foi publicada no Diário Oficial do Estado do dia 30 de setembro, por meio do Decreto 33.753, e permite a adoção de “crédito fiscal presumido de 100 % calculado sobre o valor do ICMS devido quando das operações internas realizadas por estabelecimento industrial, com queijo mussarela produzido neste Estado”. Segundo o Governo, a medida considerou, dentre outros fatores, que “os Estados de Alagoas e da Bahia concedem crédito presumido ao estabelecimento industrial na saída interna ou interestadual de produtos derivados do leite”.

Para Silvio Carlos, o benefício não deverá representar impacto relevante para a arrecadação do Estado, uma vez que, hoje, a produção local não é relevante se comparada com o que é comprado de outros estados. “Isso vai gerar emprego, renda, fortalecendo o campo e as indústrias do Ceará”, diz.

Por Diárionordeste Adaptado / Foto Sandra Sales

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s