EDUCAÇÃO | Ceará tem o menor número de inscritos para provas do Enem desde 2011

número de inscritos no Ceará para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é o menor dos últimos 10 anos. Conforme levantamento feito pelo Sistema Verdes Mares com base nos dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) desde 2011, este ano de 2021 tem a menor quantidade de inscritos.

Ao todo, 243.414 pessoas no Estado devem se submeter às provas nos próximos dias 21 e 28 de novembro. O número já é 25% menor do que os quase 325 mil inscritos no ano passado.

Para o professor universitário e especialista em educação, Enéas Arrais Neto, a pandemia de Covid-19 explica parte do desinteresse, mas a situação socioeconômica do Brasil, com índices elevados de desemprego e baixa nos investimentos no setor da educação, também ajuda a explicar o cenário.

“Os números refletem dois elementos: o primeiro, uma desesperança geral ao País. A educação está vinculada à vida das pessoas. Antes havia uma expectativa de que a formação as levaria a uma melhoria de vida, a um bom emprego. Vêm os cortes de verbas que sinalizam destruição na educação”, avalia.

“A pandemia acrescenta a isso um problema que está sendo vivenciado no mundo todo que é uma quebra no espírito, na resiliência das pessoas frente à realidade“, continua Enéas Arrais Neto.

BALANÇO DAS INSCRIÇÕES NOS ÚLTIMOS ANOS
  • 2021: 243.414
  • 2020: 325.706
  • 2019: 294.992
  • 2018: 328.591
  • 2017: 341.393 
  • 2016: 537.626
  • 2015: 486.678
  • 2014: 596.568
  • 2013: 518.017
  • 2012: 369.065
  • 2011: 300.129


Ao observar os números, o professor acrescenta que, “de 2011 a 2014, há um aumento exponencial na participação da juventude no Enem. Havia uma expectativa de que a participação na universidade, a oportunidade dos estudos superiores abria perspectiva para as pessoas. Vivíamos um quadro de pleno emprego. De lá para cá já reduz, e aí a queda se acentua de 2020 para 2021 com a pandemia”.

RELATOS

O técnico de enfermagem, Marley Almeida, optou por não se inscrever para o Exame neste ano porque acredita não estar preparado. Marley conta que antes vinha estudando com objetivo de conseguir ingressar no curso de Gestão Hospitalar e continuar uma formação na área da saúde, mas precisou parar os estudos em decorrência do trabalho.

“Veio a segunda onda da pandemia e fiquei esgotado, tomou todo o meu tempo. Não consegui estudar, não consegui acompanhar aula on-line. Agora vou focar para o próximo ano para melhorar o meu conhecimento. Eu moro em uma comunidade e vejo que muita gente tem dificuldade em acompanhar as aulas virtuais por não ter acesso aos aparelhos, à tecnologia necessária”, relata Marley.

Por Diariodonordeste.com.br / Foto WordPress

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s