RH | Lei de Cotas para Pessoas com Deficiência faz 30 anos sem garantir inclusão

Dia 24 de Julho a lei que obriga empresas no Brasil com cem ou mais funcionários a destinarem postos de trabalho a pessoas com deficiência completou 30 anos. Segundo especialistas, porém, o que deveria ser apenas um pontapé para um mercado de trabalho mais inclusivo ficou restrito a uma obrigação. Segundo a regra, empregadores com cem a 200 funcionários devem reservar 2% das oportunidades para esse grupo; com 201 a 500, 3%; e com 501 a mil, 4%. Já aquelas com mais de 1.001 empregados devem ter 5% dos postos de trabalho para esses profissionais. E é o que as empresas se limitam a fazer — isso quando cumprem a legislação.

Apesar de a lei estar aí há tanto tempo e de tantos defenderem sua implementação, infelizmente, a inclusão ainda não é uma realidade. Para dar números, estima-se que no pré-pandemia o Brasil tinha 475 mil pessoas com deficiência com a carteira assinada. Isso representa 1% do total de pessoas empregadas no Brasil. E, segundo estudos, é apenas 10% dos que teriam condições de ter um emprego. Está longe do mínimo aceitável — diz Henri Zylberstajn, fundador do Instituto Serendipidade, que atua na inclusão de pessoas com deficiência intelectual no mercado de trabalho: — A pandemia que assolou o país inteiro foi ainda mais aguda para as pessoas com deficiência, pois a sociedade e as empresas fazem associação de deficiência com incapacidade. E esses trabalhadores são os primeiros dispensados durante uma crise.

Por Extra.globo.com.br / Foto WordPress

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s